Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57496 )
Cartas ( 21184)
Contos (12605)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44272)
Humor (18615)
Infantil (3900)
Infanto Juvenil (2846)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138229)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4979)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->E AS SONDAS AMAM -- 07/01/2020 - 02:23 (PAULO FONTENELLE DE ARAUJO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Nesse mundo de incoerências
as sondas espaciais amam.
Amam a órbita onde estão,
amam as ondas do mar vistas por cima.
e, principalmente, amam os homens.
E então se pode perguntar: 
Mas logo eles
que mal lamberam os espaços, 
mal perceberam a matéria escura
e são quase plásticos nos oceanos?
Nesse mundo de ocorrências,
as sondas espaciais não se importam
e em sua exploração remota,
deram para amar também os homens,
os mesmos que se podem descartar por aí.
E as sondas já não disfarçam mais,
amam cada homem, ser mortal.
Mas porque as sondas amam
logo homens que nem órbita têm,
que são fixos e sem graça
que confundem antenas com para-raios?
Porque neste mundo de inconsequências
sondas são fêmeas quase humanas
e as mulheres são naves não tripuladas,
somente elas estudam à distância
as qualidades físicas do firmamento macho,
( possuem  recursos de telemetria) 
somente elas tiram fotos dos homens
e sempre aceitam como todas as fêmeas 
o meio-ambiente masculino
em que vivem.

DO LIVRO: AS SONDAS AMAM

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui