Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57505 )
Cartas ( 21184)
Contos (12608)
Cordel (10177)
Crônicas (22283)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44277)
Humor (18618)
Infantil (3903)
Infanto Juvenil (2849)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138234)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Manguaba, a menina e o alazão -- 08/11/2019 - 02:26 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

MANGUABA,ALAZÃO E MENINA...

Próximo ao fim do ano, esperava ansiosa uma linda menina a chegada do parque de diversões em sua cidade, em um interior não muito distante. E assim acontecia, quando a noticia se espalhava por toda cidade que o parque tão esperado tinha chegado, a menina corria e gritava de tanta felicidade por sua casa: - Mãe o parque chegou! E sua mãe feliz respondia acalme-se minha filha a noite você irá ao parque de diversões. A menina gostava de todos os brinquedos, mas somente um a encantava, o carrossel, a menina escolheu o cavalinho mais bonito e charmoso do carrossel, ele era marrom com manchas brancas e em seu pescoço tinha uma fita vermelha que o diferenciava dos outros, e a menina o chamava de garanhãozinho. E então chega a noite e à hora tão esperada, e a menina com sua mãe se arrumam para irem ao parque de diversões. E ao chegarem à menina solta à mão de sua mãe e corre ao encontro do seu cavalinho, enquanto sua mãe paga o bilhete, a menina a espera enfrente ao seu cavalinho o saudando e conversando com muita alegria, e o cavalinho quietinho a escutava, e sua mãe chega com o bilhete, para assim começar a diversão, a menina sobe no cavalinho e começa a cal vagar e no sobe e desce os dois se aventuram, e a menina continua a conversar, falando do momento maravilhoso que estar passando em cima dele, e nesse sobe e desce ela ver o céu colorido e estrelado no tão amável carrossel, e fala ao cavalinho que ele lhe proporcionava os sentimentos mais puros que ela podia sentir, sentia o amor, a paz, a alegria, a confiança, e segurança, ela indagava ao cavalinho é como se estivesse indo e voltando ao céu, a quem o chamava de seu garanhãozinho, o cavalinho concordava acenando com a cabeça para cima e para baixo, e a menina ficava muito feliz, pois seu cavalinho a entendia. E a menina se despede do cavalinho e fala baixinho para ele não ficar triste, pois ela voltaria todas as manhãs para vê-lo, e o cavalinho com seu olhar fixo a entendia e acenava com a cabeça no sobe e desce do carrossel, que se tornara agora o cantinho preferido da menina. E todas as manhãs a menina saía ao encontro do seu cavalinho conhecido por garanhãozinho, a menina o saudava com seu bom dia e seus sorrisos, uma amizade surgia, um amor nascia, e só garanhãozinho tinha esse dom de fazê-la feliz e amada, e os dois sempre juntinhos em uma imensa alegria e paz, e todas as noites e manhãs eram sempre assim, a menina e o cavalinho.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui