Usina de Letras
Usina de Letras
83 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62145 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13566)

Frases (50551)

Humor (20021)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140784)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6175)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->Vagabundagem -- 19/04/2002 - 22:57 (Anecildo Katz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Fui passando por aqui,
nem último nem primeiro,
e me detive a pensar
se entrava neste terreiro.
Entrei porque não era caro,
já que não tenho dinheiro.

Quanto poeta virtuoso!
Bom cordelista e violeiro
se encontra neste portal,
disse sem ser lisonjeiro.
Porém alguns tão brigando
como aves de galinheiro.

Antonio Torres da Guia,
escreve em bom português
mais dum poema por dia,
as vezes dois, outras três.
Aposto que, sem esforço,
sabe escrever em inglês.

Francisco Egídio Aires Campos,
velho mestre de Belém,
quando conta suas estórias
até que o faz muito bem.
Fala do Céu e da Terra,
do dia a dia e do Além.

Com Antonio está Milene,
seu sobrenome está a arder,
faz invocar com palavras
seus encantos de mulher.
Se namora com Toninho
ninguém o pode saber.

Daniel Fiúza entrou na briga?
Não sei. Não tenho certeza.
Parece que falam dele
às vezes com aspereza;
depois ele se desculpa,
não sei por que. Que tristeza!

Para mediar na disputa
aparece Seu Almir
que escrevendo de política
revela agudo sentir.
Parece até jornalista
as verdades ao cuspir.

Se tanto brigam os poetas,
se brigam com tanto ardor,
que farão os militares,
e os comerciantes, qué horror!
E os que governam os países?
Como lhes pedir amor?

Mas, pensando bem, amigos,
e já vou parando aqui,
mamíferos somos todos:
cada um torce por si
e pra marcar os limites
cada um faz seu xixi.



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui