Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
115 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57517 )
Cartas ( 21184)
Contos (12611)
Cordel (10179)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9089)
Erótico (13416)
Frases (44292)
Humor (18621)
Infantil (3907)
Infanto Juvenil (2852)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138244)
Redação (2947)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4986)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Almofada de renda -- 21/10/2017 - 05:46 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Almofada de renda





Lá no canto da sala, estava ela a esperar quem manipularia os bilros adormecidos na almofada. Madrugada e o cheiro de café que vem da cozinha, a todos convida para dar bom dia ao novo dia. E lá está ela, a almofada esperando tranquilamente pela maestrina que irá tocar a sinfonia da renda. Após o café, o homem pega a enxada e vai ao campo arar seu pedaço de chão, enquanto a mulher senta-se ao chão para então dar início à sinfonia das linhas entrelaçadas. A melodia se dá ao som dos bilros tocando entre si, ao mesmo tempo em que as notas musicais são desenhadas de acordo com o formato da renda. É uma orquestra sem espetáculo, sem plateia e sem teatro. É o som do trabalho dos que no campo, ousam produzir a arte natural que ainda resiste ao som das fábricas mecanizadas e sem vida. É som da vida, da história de uma gente.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui