Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57047 )
Cartas ( 21170)
Contos (12612)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9000)
Erótico (13395)
Frases (43641)
Humor (18455)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138234)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4852)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Mulher -- 13/01/2017 - 12:14 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




MULHER



Não cortem as minhas asas

que são inteiras ao voo

não entrem no meu verão

para trazer um inverno

se eu quero ter um trovão

abraço o frio e o faço



Somos as aves e as flechas

tecemos cantos e gritos

somos os pés doloridos

que pisam brasa e nevasca.

Não me convirtas em garça

pois sei ser tigre e ir à caça



Vou caminhar no planeta

de Rigoberta e de Frida

e tantas outras que levo

nas veias rouxas da briga.

Não me recortes as quinas

que as quero lâminas finas



Quando o poder vira macho

eu sei que é hora do incendio.

Meu coração é ardente

e sei que estás é com medo

de que eu me dilme

e te acerte.





----------------------------------------------
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 22 vezesFale com o autor