Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
167 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58289 )
Cartas ( 21211)
Contos (12893)
Cordel (10242)
Crônicas (22116)
Discursos (3152)
Ensaios - (9262)
Erótico (13456)
Frases (45476)
Humor (18988)
Infantil (4212)
Infanto Juvenil (3305)
Letras de Música (5511)
Peça de Teatro (1329)
Poesias (138801)
Redação (3006)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5289)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->A gota dagua -- 07/09/2013 - 09:50 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A gota d’água

Emília sofria dos nervos. Já moça madura, mal se arredava da mãe, dona Maria, ou da

casa, de onde já bem pouco saía. Seu pavor maior eram os trovões, os `relampos` e

coriscos. E qualquer chuvinha era pretexto para se esconder no quarto e rezar, em alta

voz, para que passasse aquele perigo atroz.

Gostava duma prosa, gostava dos moços, gostava de se distrair, mas tudo ficara

condicionado ao tempo. Que não podia rugir - e seu mundo ruir.

Mal tivera a pachorra de esquentar lugar na fábrica de tecidos, a uns cem metros de

sua casa e decididamente onde não caía uma gota de goteira e com tanta gente a sua

volta para protegê-la de raios e trovões.

A própria chaminé de tijolos lá estava pronta interceptar qualquer raio que do céu

partisse e a `fapa` atingisse. Mas que é de que Emília cria em toda aquela parafernália?

Sua proteção de fé que não falha era a barra da mãe, e pronto.

Aquele temor inusitado talvez decorresse de um trauma de infância, ou de uma

perturbação emocional forte. Mas isso tudo são suposições leigas, ainda que meigas.

Um chover no molhado, cê não acha, Emília?

Emíliiiiiiiiiiiiiiiiiaaaaaaaaa!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 240 vezesFale com o autor