Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
110 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57043 )
Cartas ( 21170)
Contos (12600)
Cordel (10078)
Crônicas (22200)
Discursos (3134)
Ensaios - (9000)
Erótico (13395)
Frases (43639)
Humor (18454)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2687)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138232)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->BRASILIA 16 -- 24/12/2016 - 14:31 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


BRASILIA



Corta-se o céu com estilete de parede

e andam sujeitos cambaleantes pelas ruas.

Escondem-se corpos entre muros e paredes

e abrigam as casas braços e pessoas.



Tenho lembranças que agonizam

e sonhos de futuro que perguntam.



Nesta plataforma de deserto

fervem corações esmagados

outros como flores estremecem...



Eu não sei o nome da barbárie

mas usa perfume e se diverte.

Jaz aqui uma coisa de serpente

algo como um ovo que se esconde.



Céu aberto e cheio de alfinetes

sinto que o abandono te adormece...



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 47 vezesFale com o autor