Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57379 )
Cartas ( 21181)
Contos (12605)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44138)
Humor (18585)
Infantil (3847)
Infanto Juvenil (2802)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138546)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Conto Espiritual: O Retorno -- 23/03/2013 - 09:22 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Conto Espiritual:
O Retorno 


Morto em um acidente de trânsito, Mauro foi investigar o que teria acontecido com ele, parando justamente em uma faculdade onde tivera publicado o seu livro. 
Esmaecido, ele ouve uma voz dizer lá na frente, que era isso que dava se envolver com  Jailda, um Espírito corpulento, que só fazia sugar energia dos outros espíritos recém-desencarnados. 

Nosso amigo ainda viu outra entidade, passando pela sala e falando algo inaudível para ele, que se aproximou dela para conseguir ouvir melhor, só que ao se aproximar a visagem seguia de costas direto para o ventilador e foi se desintegrando... 

O nosso personagem,  um escritor, aproveitou que estava junto a uma pessoa com um exemplar do seu livro - deve ser por isso que ele apareceu atrás da garota - retirado da mesma biblioteca que ele fizera uma doação, ainda aproveitou para olhar a ficha de retirada do livro para ver como estava a repercussão do seu mais novo lançamento. 

O nosso amigo resolveu sair do local e ir para o colégio de sua filha, Maiara e só viu os coleguinhas dela, como as crianças têm mais facilidade de enxergar os seres espirituais que os adultos, ele decidiu jogar algumas tábuas que estavam pregadas na parede ao chão, só que ninguém percebeu, - até parecia que as tábuas também só estariam permeando o meio espiritual - na quarta tábua, um menino chorou dizendo que o objeto tinha acertado a sua perna, foi aí que o espírito do nosso amigo se aproximou para entrar em contato; pediu desculpas e começou a conversar com o menino, foi quando mais quatro crianças se aproximaram, resolvendo participar do diálogo, percebendo que poderia entrar em contato com os encarnados, ele saiu da escola e começou a testar os adultos, assoprando a nuca de uma mulher. 

Entrando no edifício que ele morava enquanto solteiro, o nosso personagem pegou o elevador, aproveitando que a porta se abrira, entrando duas pessoas, ele ainda brincou com um deles fazendo cócegas, não é que o rapaz sorriu para o outro pensando que ele era o praticante dessa brincadeira pueril? 

Quando a recém desencarnada entidade saiu do elevador, só se via dois bolinhos grudados, um tentando fazer cócegas no outro... 

Chegando ao seu antigo apartamento, Mauro viu seu irmãozinho mais novo e a sua família reunida, o pequeno já era falecido há muito tempo, mas naquela situação o menino ainda estava vivo e ainda tinha cinco anos, estando com a perna toda machucada; ao se agachar perto do seu irmãozinho, o irmão mais velho saiu em direção da  acidentada alma;  se aproximou dizendo que aconteceu um acidente com ele e o motor do carro do desafortunado rapaz tinha super-aquecido e explodido. 

Ele olhou para seus pais de longe que estavam  jantando e refletindo sobre todo aquele drama, foi quando seu irmão primogênito o aconselhou para seguir o seu caminho, mas o nosso acidentado herói não se conformara, dizendo que queria descobrir a real causa do acidente, ao pedir auxílio ao seu anjo da guarda, seu amigo iluminado, prontamente sentiu no seu bolso algo esquentar, foi quando ele mexeu no bolso e viu um envelope com uma luz ofuscante, resolvendo abrir para ver o que era aquilo que esquentava tanto.

 Mauro identificou que aquilo era um laudo do acidente que acontecera com ele e dizia que a causa do desastre foi que o motor do carro tinha sido recauchutado e havia uma certa quantidade de areia dentro da sua mecânica, rapidamente ele entregou o documento para seu irmão mais velho, que o encaminhou aos seus pais. 

Depois de ter resolvida a investigação o nosso amigo resolveu ir embora dizendo que ia auxiliar aquelas crianças da escolinha da filha que estava precisando de ajuda. 

No final da tarde, nosso herói encontra sua esposa sentada com uma taça de vinho, em um casarão de frente para o mar vendo o por do sol, ela estava vendo uns documentos num classificador preto, entre as folhas plastificadas a mulher encontra uma pequena poesia, que saudosamente resolve lê-la, ao passo que ia lendo Mauro ia aparecendo sentado junto a ela, voltando a viver. 

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Do blog http://marceloescritor2.blogspot.com
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui