Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
122 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57005 )
Cartas ( 21168)
Contos (12600)
Cordel (10073)
Crônicas (22187)
Discursos (3134)
Ensaios - (8995)
Erótico (13393)
Frases (43603)
Humor (18446)
Infantil (3771)
Infanto Juvenil (2672)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138213)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4847)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Bagunça -- 08/08/2015 - 15:42 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos






BAGUNÇA





Por que te inimizo?

Sempre!

“All the time.

Siempre”.



Tocas em mim umas entranhas

sem tocá-las

assustas pela força muda

confundes pela total presença

quando estás.



Bagunças minhas partes.

Um puzzle retalhado que fazes

de mim.

E eu, que nem sei do efeito meu

em ti

perco-me como gaivota abandonada

que esqueceu o bando.



Enquanto não arrancar os gemidos

esses, que escondes

e que são para mim

alucinarei em mil bobagens sem sentido

sobre ti.



Terei que sentir teus poros abertos

perto das minhas digitais

para soletrar a mim mesma

preciso as indicações de tua bula

para armar o rompe cabeça

de ti

e então, na loucura de alguns instantes

bagunçar-te inteiro

até o fim





-------------------------------------------
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 69 vezesFale com o autor