Usina de Letras
Usina de Letras
57 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59276 )

Cartas ( 21241)

Contos (13148)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9464)

Erótico (13486)

Frases (46713)

Humor (19313)

Infantil (4488)

Infanto Juvenil (3785)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5564)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->PÁTRIA MINHA -- 15/02/2015 - 21:02 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Pátria minha, defento-te

armado ou não,

venho de um povo oprimido,

de cara no chão.

 

Pátria amada, mamada,

chega de exploração.

 

Sómos ovelhas encurraladas,

invés do cajado, o fuzil,

pastoreadas por generais

nossa liberdade sumiu.

 

Pátria amada, mamada

nosso mapa é um funil

 

Por decretos fomos castrados

Mãe Pátria chorosa atura,

vendo seus filhos laçados

e no cabresto da ditadura.

 

Pátria amada, mamada,

maior é Deus nas alturas.

 

Sou ovelha negra, desgarrada,

que entrou na luta pela alforria,

sonhando com mãe pátria sorridente,

olhando todo o seu rebanho contente,

pastando nos pastos da democracia.

 

Pátria amada, mamada,

os currais foram abertos, sorria!!

 

OBS-poeminha de 1985 (no final do governo Figueiredo)

         Editado em 1993 Livro Reversos pg 18

         Editora CEPE

bene22@ig.com.br

 

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 105 vezesFale com o autor