Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
113 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138240)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->A cobrança pelos serviços da Usina -- 30/01/2004 - 11:28 (Georgina Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Colegas usineiros,


Parecem-me inapropriadas as críticas que por aqui têm surgido, referentes estas ao gerenciamento comercial do site. Algumas colocações fazem-se necessárias para uma melhor apreciação do quadro...

I - A primeira delas refere-se à proposta essencial da Usina de Letras. Não se pode negar que a página pode ser considerada um eficiente sistema revolucionário no que toca ao conhecimento das variadas culturas do nosso povo. Boas ou ruins, as matérias atendem às várias demandas. Os assuntos são múltiplos e alguns usineiros escrevem apenas para desabafar, outros para adoçar o próprio ego ou, ainda, simplesmente, para utilizar a tecnologia objetivando fazer amigos à curta e longa distância. Indiscutivelmente, a Usina estimula mais a cultura brasileira do que qualquer outro programa governamental de custo milionário para os contribuintes.

II - A segunda diz respeito à manutenção técnica do site. Como leigos, não temos a dimensão do seu custo, fato agravado pelo incremento exponencial e diário dos textos inseridos. Há muito os seus administradores vinham apelando para uma fonte de recursos financeiros oriunda de apoio e patrocínio das organizações governamentais (secretarias de cultura estaduais..etc), do Ministério da Cultura ou ainda de ONGs ou empresas privadas com programas de incentivo à cultura. Embora muitos de nós tenhamos sugerido insistentemente a prática de uma cobrança mensal para os serviços do site, a Usina resistia sob a alegação de que a adoção iria contrariar a premissa existente até então de os escritores publicarem gratuitamente. Argumentavam ainda que a quantia resultante dos recursos arrecadados seria insuficiente para a sua manutenção.

Temos de admitir que, por inúmeras vezes, o Sr. Waldomiro solicitou-nos para que fizéssemos contatos organizacionais, objetivando obtenção de patrocínio e/ou apoio. Argumentava que, dessa forma, o problema se equacionaria sem a necessidade de disponibilização financeira dos usineiros.

III - A terceira consideração vem à tona com uma indagação justa: - O serviço de administração do site, por si só, não mereceria ser cobrado? Caso alguns desaprovem, qual o porquê do impedimento?...Não seria legítima a remuneração dada ao investimento e à força de trabalho de seus gerenciadores? Seria a Usina resultante de um milagre virtual, sem desgaste e disposição de tempo e bolso alheio?

IV - Ao que se refere à cobrança...Caso seja efetuada mensalmente, estipula-se um valor de R$ 12,00. Se o pagamento for semestral, a exigência cai para R$ 8,00 mensais. Não lhes parece acessível? Um caderno espiral para anotações literárias ficaria em torno disso (já viram o preço?) e não seria suficiente para o registro mensal de muitos dos usineiros que aqui escrevem.

V - Os usineiros pré-existentes não perderam o direito de aqui editarem gratuitamente. Apenas não dispõem de o "Fale com o Autor" e de alguns serviços criados posteriormente. Não foram absolutamente prejudicados...

VI - As antologias e outros... Não são impostas, geram alguma renda e verifica-se demanda para isso. Por que não, então?...

VII - Quanto à argumentação baseada nas deficiências técnicas do site... O nosso computador doméstico (muitos deles, com um usuário apenas...) é tão infalível quanto queremos (e exigimos...) que este seja? As coisas não podem ser feitas gradualmente, através de sugestões construtivas?

VIII - Se o trabalho de manutenção da Usina é tão deficitário, por que não surgiram ainda outras semelhantes? Mais ainda: - algum de nós estaria disposto a comprar os equipamentos adequados ao funcionamento de algo dessa proporção e, posteriormente, colocar-se à sua disposição gratuitamente?

IX - Caso algum grande grupo comercial se habilitasse, seriam mantidos os princípios de neutralidade pertinentes ao site, ou prevaleceriam os interesses de outra monta?

X - Para o possuidor de dom e motivação para a escrita, a publicação de seus trabalhos na Usina é surpreendentemente eficaz. Diria que, pela sua instantaneidade, é quase mágica. Mas os trabalhos de operacionalização e informatização são de natureza prática... Não são obtidos apenas com inspiração, mas também pertencem à ordem da tão
propalada "transpiração". Contatos com fornecedores e técnicos para atualização e substituição de equipamentos, acompanhamentos emergenciais etc. etc. e tal...


Ante ao exposto acima, sugeriria aos que ainda não se cadastraram para que, caso seja pessoalmente viável, o façam... Estejam certos de que, além da agilização do intercâmbio entre os autores pelo "Fale com o Autor", a adesão só trará "benesses" para o site e o nosso aprimoramento como escritores. Afinal, são apenas R 8,00 ou R$ 12,00 mensais...que evitariam a futura extinção desse maravilhoso espaço.

Um grande abraço,

Georgina Albuquerque




Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui