Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
74 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57097 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10091)
Crônicas (22211)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43745)
Humor (18481)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138305)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4889)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Sangue de Menina -- 17/02/2012 - 19:56 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Sangue de Menina

Saímos em um caminho que tinha uma casa grande, com uma escadaria na sua frente, resolvemos adentrar no local onde haviam várias pessoas vestidas de branco, estava acompanhado de minha filha.
Durante essa breve visita, um homem resolveu apagar as luzes, ficando tudo escuro, não enxergávamos nada, quando a luz voltou, percebemos que a criança sumiu, levada pela escuridão; diante desse problema puxei o celular e disse que ia ligar para a polícia, o homem de barba branca, resolveu tomar meu aparelho e jogar ao chão.
Sai correndo para pedir ajuda, foi quando na encruzilhada apareceu um camburão da polícia, imediatamente, fomos a eles e comunicamos o fato.
Acompanhado pelo pessoal da lei, voltei ao local do crime, mas entrei sozinho ao local, no meio da escadaria tinha duas mulheres trajadas de branco e de turbante, elas tentaram me impedir de adentrar ao local, foi quando pedi ajuda ao meu grande amigo São Lázaro, ele me orientou e através dele tive forças para emanar energias, através de orações, foi quando elas esmaeceram.
Prossegui o caminho, entrando no recinto, lá estavam várias pessoas batendo em instrumentos de percussão, mais adiante, no salão tinha um grupo de pessoas também trajadas de branco e me intimando a entrar no círculo.
Toda fé em meu anjo da guarda, de repente transformou-se em um escudo, eu proferia orações de exaltação ao meu santo-amigo, muitas eu nem conhecia, mas foi uma gritaria geral, gente caindo, eles foram se fortalecendo, eu com o corpo endurecendo, ia entortando, enfraquecendo, implorei mais ajuda ao meu guia, foi aí que um cavalo-marinho dentro do aquário, lá no fundo da sala, se mexeu e apontou a cauda, estourando a caixa de vidro, todos se molharam e desmaiaram.
Livrando-me daquela armadilha, segui adiante, mais forte e certo da minha vitória, foi quando entrei em um quarto e vi a minha garotinha presa na mesa e um homem também de branco, de bengala, apesar de não ser velho, apontou para ela e disse que todos estavam fortes porque sugavam o sangue da menininha.
Desesperada ela gritava, pedindo ajuda para mim, eu fiquei chocado com aquela imagem, mais uma vez usei toda a minha fé, clamando ajuda a Jesus Cristo e São Lázaro, foi quando saiu uma grande energia de mim, clareando todo o ambiente, fazendo o homem sumir e no lugar dele, ela apareceu.
Emocionado agradeci os meus anjos da guarda pela ajuda e prometi escrever algo que mostrasse que o poder maligno e o poder divino estão aí, temos que perceber o caminho correto e seguir em frente.





Marcelo de Oliveira Souza
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui