Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
238 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58157 )
Cartas ( 21211)
Contos (12857)
Cordel (10239)
Crônicas (22094)
Discursos (3147)
Ensaios - (9229)
Erótico (13452)
Frases (45305)
Humor (18938)
Infantil (4161)
Infanto Juvenil (3234)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138720)
Redação (2996)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5253)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->O CHEIRO E O CHORO -- 25/05/2014 - 19:29 (Francisco Miguel de Moura) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


O CHEIRO E O CHORO



 




Francisco Miguel de Moura*

 



O cheiro e o choro das


coisas empoleiradas,


empacadas na prateleira,


turvam os olhos dos homens,


invalidam o dizer,


o bem querer...


 


Perpassamos por elas, 


no balanço dos ossos


como ofício.


As beldades,


oh!  tremem as carnes,


vestidas e nuas,


no parecer – calças.


 


Não há mais perfume,


nem riso nem choro,


a verdade é tão louca!


O que une e reclamam.


é sede, o vazio, não passa.


 


E o mofo não resvala


do choro dos secos


& molhados.


Não umedece um homem.


-----------------------------------------------------


*Francisco Miguel de Moura é um poeta brasileiro, nascido no Piauí,  em busca de um editor de vergonha, de preferência que more no Sul. Seus poemas e sonetos, nem são novos nem velhos. Como disse o velho Carlos Drummond de Andrade, também pode dizer Francisco Miguel de Moura: "Cansado de ser moderno / agora sou eterno".

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui