Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
37 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58124 )
Cartas ( 21211)
Contos (12849)
Cordel (10239)
Crônicas (22076)
Discursos (3148)
Ensaios - (9223)
Erótico (13451)
Frases (45264)
Humor (18933)
Infantil (4151)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138691)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5246)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Disputa na Copa do mundo doi no corpo! -- 01/07/2010 - 15:32 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Disputa na Copa do Mundo: Brasil X Holanda doi no corpo!


Querendo ou não, nós brasileiros temos a nossa vida muito ligada ao futebol, nossas alegrias, decepções e tudo que o esporte chutado possa nos proporcionar.
Quem mora em Salvador sabe que o ponto de comemoração das vitórias brasileiras é o Farol da Barra, depois apareceu um local mais novo que é o Pelourinho.
O Brasil e Holanda sempre foi um caso a parte, eles jogam muito bem mas nós quase sempre ganhamos, numa dessas vitórias, a do ano de 1994 foi a que mais marcou, pois a galera aqui não perdoa nem nos dias de Copa do Mundo, assisti num desses subúrbios da vida a grande partida onde o heroi foi o Branco, com aquele chutão de falta, voltei contente para casa, contudo tinha um grupo de "torcedores" que estavam mais para baderneiros, expressando a alegria e "cultura" de fazer batucada no fundo do coletivo. Todos agitados, encaminhando-se ao Farol da Barra, Infelizmente encontrava-me dentro do coletivo, percebi que o ambiente não estava muito bom e ia ficar pior ainda, pois passei de mansinho diante dos degenerados, um deles resolveu imitar o chutador da seleção, cobrando a falta bem nas minhas costas, quando estava descendo do ônibus; esse covarde ato de agressão me tirou do sério, chamei-o para sair do carro e ver se ele era macho mesmo, infelizmente a covardia é uma ato realizado em grupo, foi assim mesmo que eles desceram para cima de mim, em chutes e murros, o motorista do veículo ainda ficou esperando eles comemorarem o jogo encima de mim, ninguém reagiu, tampouco gritou, pois esgotaram os gritos e urros na comemoração da vitória brasileira, eles retornaram ao transporte e foram agredir mais alguém no Farol, contudo os hematomas ficaram, a lembrança do jogo também, mais ainda é a tristeza de dividir as cores com pessoas desse tipo, que exaltam a violência e esquecem do futebol.
A festa do futebol mundial é tão bonita, contudo as pessoas degeneram-na com violência, hoje o Brasil está mais violento, a seleção mais fraca, resta-nos rezar para que corra tudo bem lá na África, pois quando corre bem lá, o pau come aqui, porém quando corre tudo mal tudo piora... todos vão mesmo assim comemorar no Farol e no Pelourinho a derrota ou vitória e "nós" que passamos diante dessa bomba em estado de explosão, temos que esquecer o transporte coletivo, muito menos passar por esses lugares em dia de festa ou de guerra, porque as duas se confundem e os agitadores de plantão estão ali esperando isso mesmo para imitar desta vez o chute de Daniel Alves em algum torcedor que estiver indo comemorar a vitória com um grito de dor.

Marcelo de Oliveira Souza
Salvador Bahia
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui