Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
259 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13103)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138237)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Solidão -- 01/05/2014 - 10:30 (ANA SUELY PINHO LOPES) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. De repente a tarde chega ao fim

Caminha com olhos úmidos, empoeirados e apertados da fadiga do sol

Desço para captar o momento por meio da janela da alma

Olho a quadra e vivencio o momento

Um traço fugaz, árvores e ipês amarelos dão vida aos jardins filhos da seca

Repentinamente um carro quebra o ócio, sinal de vida no deserto

Uma moça de azul em equilíbrio com o céu, passos apressados, misturada ao horizonte prova que Brasília não é só concreto e carros.

Por ali passam pessoas e existem flores para humanizar Brasília.

O céu, azul na sua constante firmeza me lembra de que tudo é estado de espírito!

Esse momento me faz sonhar, viver, sentir, sofrer e amar Brasília!

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui