Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
170 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58118 )
Cartas ( 21211)
Contos (12860)
Cordel (10239)
Crônicas (22075)
Discursos (3147)
Ensaios - (9223)
Erótico (13451)
Frases (45260)
Humor (18932)
Infantil (4147)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5246)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Reprovado! -- 01/02/2003 - 15:09 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O Programa semanal, matutino, APROVADO, tem uma boa intenção, contudo, o apresentador Jorge Portugal, exagera demasiadamente.

Durante a sua exibição, em que os alunos fazem as perguntas, ele pergunta se irão fazer vestibular, o que todos prontamente respondem positivamente, com orgulho no peito, dizendo prestar concurso para direito, engenharia, medicina, essas de sempre.

O que ele acha uma maravilha, até aumenta o ego dos guris, dizendo que a futura candidata à vaga de direito, será uma juíza ou desembargadora.

Acorda Jorjão! Estamos no Brasil, mais precisamente na Bahia, onde não existem vagas suficientemente para os estudantes, onde o ensino público não é valorizado, onde os professores não ganham quase nada, tem que ter três ou quatro empregos, sendo perseguido por diretores, que não querem nem saber das suas dificuldades de horário , em que professores têm que correr para cima e para baixo, para ver se ganha uma graninha a mais, em que o médico ganha um nada, nadinha! Fazendo malabarismo, igualmente aos professores, para conseguir uma graninha, arrumando vários empregos para ver se tem uma receita decente, sem falar da dificuldade de aprendizado dos alunos que desde as séries iniciais chegam sem saberem quase nada, sendo empurrado para a série posterior, e assim por diante, e depois chega ao fim do ensino médio sem saber nem escrever, nem as capitais do Brasil, sonhando com um futuro de Desembargador.



Marcelo de Oliveira Souza

Tel 71*91253586

01/02/2003

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui