Usina de Letras
Usina de Letras
24 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50382)

Humor (20001)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140718)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Mistério? -- 09/01/2014 - 08:42 (André Mariano de Almeida) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Ali, no cantinho da porta,

uma maria-fedida bobinha,

ou outro insetinho a toa...

quietinha... será que voa?

mui viva fazendo de morta.



Passei por ela "de boa"

sem dar de maior romance

mas como chegava a hora

de deixar-me na intimidade,

e como ela ali ficava...

e como já era tarde...

olhei para o bicho sem face

e disse que ali ficasse,

sorrindo, me achando esquisito,

porém sem dar debate.



E não é que depois, de repente,

de súbito e sem disfarce,

do meu ladinho pousou,

tão perto e chegando mais perto

que o mais automático gesto

de "sai pra lá" evocou.



Mas da vida as vezes se ecoa

um fio de cabelo de insight:

por mais estranho que fosse

doeu em meu peito "saber"

que aquele insetinho a toa

viera por me entender

e mesmo correndo perigo

não quis deixar-me sozinho



Ah seu lindo bichinho

se o musculo não se soltasse...

se um pouco mais eu esperasse...



Não sei para onde foste

talvez um dia isso passe,

mas dentro, na intimidade,

de novo, meu insetinho,

queria que assim pousasse.





(S.J. Rio Preto, Jan/2014)



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui