Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
222 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57813 )
Cartas ( 21200)
Contos (12737)
Cordel (10224)
Crônicas (22098)
Discursos (3145)
Ensaios - (9161)
Erótico (13441)
Frases (44840)
Humor (18807)
Infantil (4037)
Infanto Juvenil (3009)
Letras de Música (5488)
Peça de Teatro (1324)
Poesias (138405)
Redação (2967)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5107)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->E ENTÃO. -- 05/01/2014 - 23:32 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
E ENTÃO.



Alucinada a sensação de que passa a vida

e meu lado teu, ou o teu lado meu

não resolvem nada.



Torto o esforço de sair da casca

algo que não nasça

ou que se desfaça:

sinto-me vidraça.



Pedra tens a mim,

homem devaneio.

Quero que me atires

feito um desespero.

Não por coisa ruim.

Sim, por muita coisa.



Em poucas palavras

deixo a minha boca.

Como uma violeta cheia de cuidados

não quer muita água, sofre sol e vento.

Sabe já teu gosto quase imaginário

vai ser divertido se não me deixares...



Mas teu furacão;

isso sim.

Aguento.







________________________________________________________

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 84 vezesFale com o autor