Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57055 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9003)
Erótico (13395)
Frases (43648)
Humor (18456)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138244)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4854)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->De repente -- 05/01/2014 - 23:18 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
De Repente





Quando começas a faltar

a dor confunde-se com a vontade

e o desejo veste-se de inoportuno

como se uma mão quisesse meus olhos



as coisas passam a ter teu nome

o riso decompõe-se

e os outros parecem de papel.

A noite não importa com suas horas.



Há uma ansiedade de guitarra

uma fome de tambores bem no peito

e a batida do coração finge-se triturada

para que eu procure urgente a ti

e mais nada...







___________________________________________________________

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 39 vezesFale com o autor