Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
114 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57528 )
Cartas ( 21184)
Contos (12627)
Cordel (10183)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9091)
Erótico (13416)
Frases (44307)
Humor (18625)
Infantil (3909)
Infanto Juvenil (2856)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138251)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4989)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Cautela -- 08/12/2013 - 04:08 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Cautela

De nada me serviria afinar o grito

ou trancar a porta.



De nada serve agora escancarar

outra vez

a porta

nem virar as esquinas sem memoria

por revanche.



Eu lá sei se é possível

algum tipo de receio

acoplado ao abandono do talvez

ou à falta de bom senso.



Esta fuga que sustento

ou teu medo com silencio

tem um caso de sossego

que nos deixa quase inteiros.



E no entanto ser feliz

tem o risco dos extremos

não parece ser possível

nenhum tipo de receio







------------------------------------



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui