Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57376 )
Cartas ( 21181)
Contos (12603)
Cordel (10138)
Crônicas (22259)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44132)
Humor (18585)
Infantil (3846)
Infanto Juvenil (2802)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138545)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Ahora -- 13/10/2013 - 00:17 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos



Ahora



Enfiado entre os silêncios do meu quarto

jazem os sons do passado e do presente

num tecido de cenário do agora

para formar minha cápsula

devastadora



o futuro é imagem, projeção aberta

possibilidade e arame farpado

porque tem alma de armadilha.



Desenho luzes e as deixo tênues

na tentativa de injetar em mim

o sentido de ser cautelosa

como uma aranha.



E então oriento-me: o amanhã não existe.

E de nada adianta antecipá-lo

porque nada há.

Mas neste ponto da reta

em que habito

existe o instante com seu arco íris

provocando o sonho,

que impaciente cria-te : amanhã.

 


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui