Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
41 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59135 )

Cartas ( 21236)

Contos (13102)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138234)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->INSISTÊNCIA -- 11/02/2013 - 17:31 (Délcio Vieira Salomon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.


INSISTÊNCIA



Délcio Vieira Salomon





Insisto em dizer não,

quando todos querem que diga sim.

E se todos querem que diga não

Insisto em dizer sim.

Insisto em externar minha opinião,

mesmo sabendo que para todos o correto

é ficar calado.

Insisto em tirar de mim

algo para presentear,

ainda que o normal

seja a lembrança comprar...

Insisto na ausência da solidão

à presença do tumulto e da agitação.

Insisto em enfrentar abrolhos,

quando todos preferem cultuar as rosas.

Insisto em gostar da segunda feira

quando a maioria prefere o domingo.

Prefiro o silêncio da leitura

a pular no carnaval.

Insisto em continuar sonhando,

quando todos acordam cedo para trabalhar.

Insisto em alimentar utopias,

quando todos me apelam

cair na real.

Mas se a realidade se nutre de violência

por que não me recolher ao aconchego

para escutar o coração?

(11.02.2013)













INSISTÊNCIA

Insisto em dizer não,

quando todos querem que diga sim.

E se todos querem que diga não

Ínsito em dizer sim.

Insisto em externar minha opinião

Mesmo sabendo que para todos o correto

É ficar calado.

Insisto em tirar de mim

algo para presentear,

aAinda que o normal

seja a lembrança comprar...

Insisto na ausência da solidão

à presença do tumulto e da agitação.

Insisto em cultivar abrolhos,

quando todos preferem cultuar as rosas.

Insisto em gostar da segunda feira

Quando a maioria prefere o domingo.

Prefiro o silêncio da leitura

a pular no carnaval.

Insisto em continuar sonhando,

quando todos acordam cedo para trabalhar.

Insisto em alimentar utopias

Quando todos me apelam

Cair na real.

Mas se a realidade se nutre de violência

Por que não me recolher ao aconchego

Para escutar o coração?

(11.02.2013)







































 


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui