Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
63 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58124 )
Cartas ( 21211)
Contos (12860)
Cordel (10239)
Crônicas (22076)
Discursos (3147)
Ensaios - (9223)
Erótico (13452)
Frases (45263)
Humor (18932)
Infantil (4147)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138691)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5246)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Soledad -- 30/12/2012 - 11:50 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Soledad



A solidão fala mais

porque ela pode.

Dou-lhe a senha da entrada sem subterfúgios

porque tem o fogo da verdade

assustadora.



Uma poesia é uma fuga

por janelas interiores

que ficam de vidraça quebrada

em casas que eu tenho

abandonadas



E quando passam os pivetes

pela rua deserta

de dentro espia a solidão cativa

que só pode voar

quando há silencio com lua



Se quebrarem mais vidraças

na brincadeira

não será triste nem ruim

porque vidraças são feitas

para soltar a solidão

e lembrar ao coração

que há um mundo por aí









*********************************************
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 111 vezesFale com o autor