Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57362 )
Cartas ( 21181)
Contos (12601)
Cordel (10135)
Crônicas (22251)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44118)
Humor (18580)
Infantil (3845)
Infanto Juvenil (2799)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138535)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4942)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->UMA NOVA CUCA -- 19/02/2008 - 00:34 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


UMA NOVA CUCA
(Por Germano Correia da Silva)

Conta uma lenda muito antiga que a Cuca quando era criança era muito bonita e não assombrava ninguém. Ela era uma criança inocente e inofensiva como todas as outras do seu tempo. Entretanto, o tempo foi passando no seu compasso natural e ela finalmente cresceu. Mais tarde, ficou adulta e, ao envelhecer, se transformou numa bruxa muito feia.

Com vergonha de ser vista pelas bruxas menos feias do seu tempo, ela passou a morar escondida numa caverna muito escura.

Há quem diga que foi vivendo lá na escuridão da caverna que ela adquiriu a aparência de um jacaré. Comentam também que lá dentro da caverna não havia cortador de unhas e por isso as unhas dela cresceram bastante se transformando em garras semelhantes às de um gavião.

Dizem também que a sua aparência com um jacaré e as suas enormes garras de gavião têm lhe servido até os dias de hoje para intimidar as pessoas, principalmente as crianças, que jamais tentam se aproximar dela.

A Cuca é uma bruxa que tem a idade do tempo e dorme apenas uma noite a cada sete anos. Quando ela fica zangada não pára de urrar e, por incrível que pareça, o seu urro de raiva pode ser ouvido a 10 léguas de distância.

Ela é também conhecida como o bicho-papão. É o verdadeiro fantasma do povo brasileiro e a sua figura apavorante é usada pelos pais para amedrontar as crianças que costumam fazer traquinices e também para assustar aquelas que insistem em permanecer acordadas durante a noite.

Apesar de sua horrenda aparência ela sempre foi lembrada pelas mães e babás quando tentavam ninar suas crianças. A figura dela é tão importante na vida familiar dessas pessoas que elas chegaram a criar algumas canções que passaram a ter versões diversificadas conforme a região.

Uma das mais conhecida dessas canções de ninar parece ter a seguinte formação poética: dorme nenê / que a cuca vem pegar / mamãe está em casa / papai foi trabalhar.

A propósito, que canção é essa que você está aí solfejando, há já bastante tempo, com essa criancinha no seu colo?


 


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 15Exibido 1787 vezesFale com o autor