Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
124 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57060 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10081)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9004)
Erótico (13395)
Frases (43652)
Humor (18457)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2690)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138248)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4855)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Furto -- 30/09/2012 - 01:53 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Furto



Posso arriscar a pensar

que nada de ti conheci

mas tudo que tinhas mostraste

eu vi:

as coisas astutas e sórdidas

essas que nunca dizemos

os teus pedaços terrenos

cheios de sol.



As tuas marcas de terra, pés de raiz

olhos mel

creio que sim : teu violão

quase teu rosto e pescoço

tudo que esqueces

que tens



As margaridas mordidas

parte de pão e de fel

dores que lambem e brincam

sem perceber eu levei.

Posso arriscar a pensar

que algo de nós é quase igual.

Tudo que tenho, eu mostro.

Menos você .

Isso, eu fiquei.





*********************************************************

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 106 vezesFale com o autor