Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
97 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57362 )
Cartas ( 21181)
Contos (12599)
Cordel (10135)
Crônicas (22251)
Discursos (3139)
Ensaios - (9063)
Erótico (13414)
Frases (44116)
Humor (18580)
Infantil (3845)
Infanto Juvenil (2798)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138534)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4942)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A Redoma do Pelourinho -- 19/01/2003 - 11:59 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Com a reconstução do Centro Histórico de Salvador, houve uma grande mudança na auto-estima do baiano, que agora possui um grande patrimônio mundial, reconhecido internacionalmente.

Na época da alta estação, aquele local fervilha, é festa todo dia, todo dia é alegria, são diversos ônibus de turistas, que aparecem por lá, nacionais e internacionais, para conhecer mais um dos pontos turísticos da nossa imensa e bela Bahia.

O Pelourinho está localizado no centro da cidade, perto da rua Chile, que é praticamente um corredor, para alcançarmos a Estação da Barroquinha ou da LAPA.

O problema começa justamente quando passamos pela rua Chile,( que já foi um dos pontos tradicionais, muito antigamente )se não estivermos de condução própria, indo pegar o transporte preferêncialmete na LAPA.

O local durante os finais de semana, bem como nos finais da noite, é bastante deserto, acontecendo diversos tipos de delitos, principalmete o furto, assustando todos nós, proibindo-nos de frequentar o Pelourinho durante a noite, o que é mais interessante, pois neste horário, existem mais festividades culturais, mostrando toda riqueza baiana, o que é divulgado como baianidade.

Dentro do Centro Histórico, existem uma quantidade enorme de policiais militares, dois ou três em cada esquina, contudo ao sairmos da redoma, estamos entregues à sanha dos marginais, que infestam cada lugarzinho das ruas, intimidando-nos, assustando-nos, onde os mais arvorados e descuidados sempre pagam pelo seu ato, sendo roubados, agredidos e/ou até coisa pior.

Cabe aos nossos governantes prestarem um pouquinho de atenção, pois é comum ocorrer este tipo de problema, que afeta tanto o cidadão de bem, impossibilitando-o de curtir o verão com a mesma alegria e segurança que os nossos tão valorizados turistas.



Marcelo de Oliveira Souza

19/01/2003

Tel 71*91253586

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui