Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
205 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58147 )
Cartas ( 21211)
Contos (12856)
Cordel (10239)
Crônicas (22090)
Discursos (3147)
Ensaios - (9227)
Erótico (13452)
Frases (45299)
Humor (18938)
Infantil (4161)
Infanto Juvenil (3234)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138718)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5252)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->CUERPO -- 18/06/2012 - 23:51 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

CUERPO

 

Há anos me é emprestado

formado por ar e barro

ou sabe-se lá do que

um pouco desajeitado

A dança é seu deleite

e meu

que sou sua e moro

inquieta entre suas paredes

de pele

olhos

e redes

 

É caixa da qual não saio

embora sonhe e planeje

a ele cabe o direito

de sono, dores, prazeres.

Então me leva e sacode

atua

gosto de rua

e sabe que dentro dele

estou

tenho muita sede.

 

Não sei quantos anos pode

se aguenta o mundo e o vence

Queria rodas, asas... e só

cavalgar estepes

areias quentes sem medo

desertos

mares

alhures

 

E teve isso

e já não cede.

Me faz lembrar desta sede

às noites, dias, entraves

e não desiste de claves

de sóis

de luas

paredes.

 

Contornos cheios de noites

os sóis no peito de amores

paredes para tombá-las

e luas, que em mim

são tuas

 

***

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 144 vezesFale com o autor