Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57096 )
Cartas ( 21170)
Contos (12595)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43742)
Humor (18481)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138305)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4887)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A NOITE -- 30/06/2011 - 23:34 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


A NOITE

Juan de la Ville

Brasília, Carpe diem

30 de junho de 2011





Na animação

A noite esconde e se esconde

Deixando que as estrelas luzam

Bem lá longe

No empíreo

Para não atrapalhar suas maracutaias

A noite adotou como lema ser livre

E densa

E para isso luta por preservar a privacidade

Na noite

Fecham-se as luzes

Sua voz é tênue

E se escutam apenas balbuciantes e leves murmúrios

Em tempos e espaços intangíveis

A noite é uma ficção

Para quem a vive

Para quem a frui

E para quem a paga

Dionísio e Vênus a criaram

Como alternativa do dia tenso

Abalroado por conflitos

E frustrações

A noite é fármaco de descompressão

Conveniente para as cidades neuróticas

Que se mostraram incapazes de sobreviver

De outra maneira.



Juan de la Ville

Brasília, Carpe diem

30 de junho de 2011

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 74Exibido 271 vezesFale com o autor