Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
145 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58133 )
Cartas ( 21211)
Contos (12850)
Cordel (10239)
Crônicas (22079)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13451)
Frases (45276)
Humor (18934)
Infantil (4152)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138694)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Sem malas -- 17/06/2011 - 12:28 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Sem malas.



Assusta-me a memória

por seus anzóis pontiagudos.

Nela você bate à porta

eu crio coisas de festa

vou aos planetas em volta

chovo em molhado

reitero.



Toda existência sem cotas:

todas então esvaziadas

bate e rebate

nas portas.



Vou caminhar nos andaimes

não porque queira o presente.

Mais por falar com meu fundo

desses limites que açoitam.



Meio do fio e alturas

um equilíbrio

sem tempo.



cristina


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 165 vezesFale com o autor