Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
110 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57113 )
Cartas ( 21170)
Contos (12596)
Cordel (10092)
Crônicas (22213)
Discursos (3137)
Ensaios - (9017)
Erótico (13404)
Frases (43772)
Humor (18490)
Infantil (3792)
Infanto Juvenil (2720)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138320)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4892)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Havia -- 15/12/2010 - 20:39 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
HAVIA



Havia lâmpada e sono

e um quase ardor

quase beijo:

assim sem mais te pensava

e destilava

sem tempo.



As franjas quietas das horas

uma demora

um espaço:

não religava a tomada

que pensa o tempo e a vida

apenas sim

te sentia

como uma parte que falta.



Então caí no apetrecho

de uma cortina do quarto:

meio do nada e sem brilho

notei o pano concreto.

Pensei comigo: que coisa!

Como é possível viajar

quando se tem o desejo!

Caí de novo no tempo

sem teu olhar

ou teu beijo...

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui