Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
225 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57813 )
Cartas ( 21200)
Contos (12737)
Cordel (10224)
Crônicas (22098)
Discursos (3145)
Ensaios - (9161)
Erótico (13441)
Frases (44840)
Humor (18807)
Infantil (4037)
Infanto Juvenil (3009)
Letras de Música (5488)
Peça de Teatro (1324)
Poesias (138405)
Redação (2967)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5107)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Cronos -- 10/12/2010 - 03:24 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


“Cronos”



Há tempos noturnos

que não passam na garganta

e cantam

assobiam

espantam

e às vezes pagam

para ver.



Assim solto as feras a comê-los

quase atirando no jardim

e vejo vaga lumes ao longe

param-se as horas

ou quase

respira-se o instante

ou quase

e sabe-se a vida

sem querer.



Até que insuportáveis

paradas que estavam

voam

as horas cruéis.

E levam gargantas e tempos

roubam assobios que cantam

e passam

outra vez.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 208 vezesFale com o autor