Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57372 )
Cartas ( 21181)
Contos (12603)
Cordel (10136)
Crônicas (22255)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44126)
Humor (18583)
Infantil (3845)
Infanto Juvenil (2801)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138539)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Negócios negados -- 12/11/2010 - 02:55 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Negócios negados



Talvez

se pedisse

ou cantasse.



Só não

se implorasse

(isso mata).



Meus pedaços vendidos

não estão mais comigo

e mesmo

que quisesse vendê-los outra vez

foram roubados de um quintal

onde secavam sua chuva

ao sol.



Disseram-me que não é vendível

pedaço de dentro

mas é sim.

Vamos dizer : uma troca.



Moeda?



Algo parecido com beijo

que as duas partes tem (sobrando)

e então

sem levar joelhos ao chão

migalhas

ou papéis;

vende-se

pedaço mudo

e paga-se com outro

muito bem.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui