Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
110 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59120 )

Cartas ( 21236)

Contos (13110)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9437)

Erótico (13481)

Frases (46507)

Humor (19274)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3722)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138224)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5522)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Justiça -- 14/07/2009 - 02:37 (Elias Torres) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Justiça
Texto: Elias Torres
Havia um grande empresário, arrogante, que todas as manhãs quando ia para sua empresa parava o seu carro em um determinado farol. Nele ficava um mendigo que sempre batia no vidro de seu carro pedindo esmolas, mas este homem sempre gritava com ele expulsando-o dali, dizendo aos berros: Sai daqui mendigo desgraçado! Tire suas mãos sujas de meu carro! Todas as manhãs era a mesma coisa. O Sr. Job da banca de jornal do mesmo local, morria de rir quando via a briga dos dois. Certo dia, este ricaço passou mal dentro de sua empresa e foi levado as pressas para o hospital, pois tratava-se de uma parada cardíaca. Ele ficou internado durante vinte dias e precisava urgentemente de um transplante de coração ou não iria sobreviver. Numa tarde, um da equipe médica, chegou ao seu quarto e disse: Já temos o doador! Vamos prepará-lo para o transplante. A cirurgia foi um sucesso, toda família dele estava em festa era uma só alegria. Depois de noventa dias o empresário voltou as suas atividades e todos os seus funcionários o receberam bem. Ele ficou um pouco mais calmo e com a mesma cara de arrogante agradeceu a todos de igual para igual. Numa manhã, o ricaço comentou com o seu motorista: Faz tempo que não vejo o mendigo por aqui. Seu chofer comentou: Eu também não. Na semana seguinte seu carro parou no farol, desta vez em frente a banca de jornal,tendo o empresário baixado a janela de seu carro e perguntado ao Sr. Job: aquele mendigo infeliz sumiu daqui né? Sumiu nada Sr. Briller. E, o empresário perguntou: Cadê ele? O jornaleiro respondeu: Ele está do seu lado esquerdo do peito pulando de alegria! No outro dia ele foi saber que o mendigo foi atropelado e teve morte cerebral e a medicina aproveitou seus órgãos. Tem pessoas que pode trocar o coração, mudar de país, fazer operação plástica para melhorar sua aparência, colocar roupas de grife para melhorar o visual se não renovar sua mente e não nascer novamente não adianta nada.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui