Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
73 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59135 )

Cartas ( 21236)

Contos (13102)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138234)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Fazendinha -- 29/09/2010 - 17:43 (Alan Carlos Dias) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.



Distante 15 km

Da Cidade de Macapá

Pela rodovia Juscelino

Em um Distrito vai chegar

Recheado de História

Do Estado do Amapá

Lenda, mitos, tantos causos

Terra boa de morar

Fazendinha e sua história

Passo agora a contar.



Foi no tempo de Janary

Governador do Amapá

Que a fazenda pequeninha

A mais linda do lugar

Teve as terras divididas

Para a vila se formar.

Mas a necessidade

De não deixar tudo acabar

Fez então surgir a APA

Para as riquezas preservar

E as gerações futuras

Poderem contemplar

As belezas naturais

Que existiam no lugar.



Mas esse paraíso ecológico

Ameaçado ficou

Quando os grandes aventureiros

Gente rica, sem valor

Esqueceram a gente humilde

O pequeno agricultor

E foram cortando tudo

Não ouviram o clamor

Da flora e da fauna

Sabiá o cantador

Só se ouvia um grito forte

O Progresso já chegou.



Outra afronta ao ambiente

Veio forte e com temor

Quando o frigorífico

Das águas não cuidou

E a população

Sem saber se descuidou

E o Rio Amazonas

Importante corredor

Sem cuidado e sem respeito

Poluído se tornou

Comprometendo o paraíso

Da linha do equador.



Mas a fé e a esperança,

Desta gente devotada

Pediram atenção no trânsito

Natureza preservada

Cuidados com o lixo

Violência derrotada

Respeito entre as pessoas

Fé forte inabalada

Mais emprego e mais saúde

Educação valorizada

Nossa gente e sua história

Para sempre respeitada



E enfim foram ouvidos

E se fizeram respeitados

Valeu a pena cada culto

Das igrejas aqui fincadas

Que têm a força de uma rocha

Gente firme e preparada

Que cuidam das riquezas

Desta terra abençoada

Que na fé em Jesus Cristo

Andam todos de mãos dadas





São José é o padroeiro

Desta terra bem dotada

Que cresce com o turismo

De povos dante escravizados

De amarelos e vermelhos

Também de olhos puxados

Brasileiros e estrangeiros

Todos são valorizados



E é por que aos domingos

A praia fica lotada

Gente rica, gente pobre.

Negro, índio, cabocada.

Aproveitando a estrutura

Simples, linda e sossegada.

Ideal para a família

Repousar e ser amada.



Alcarias

setembro/2010

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui