Usina de Letras
Usina de Letras
26 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50382)

Humor (20001)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140718)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Saudades da Vida -- 12/04/2001 - 09:32 (Armenio Eduardo Costa Leao Filho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Saudades da Vida



Saudades da família,

dos pais, dos irmãos,

das manhãs de correria.

Saudades da infância,

dos mimos, das travessuras,

da brincadeira de balança.

Saudades da juventude,

da vida boêmia,

dos amigos e amigas.

Saudades do carnaval,

da reunião de batuqueiros,

do ensaio geral de fevereiro.

Saudades da escola,

das aulas engraçadas,

dos professores, das risadas.

Saudades da música,

dos concertos, dos shows,

do piano de cauda, dos discos de vinil.

Saudades dos esportes,

das conquistas e medalhas,

dos jogos olímpicos e mundiais.

Saudades do rodízio,

de carros, de carnes,

de amigos.



Saudades do mar,

das praias limpas,

de pegar conchas e pescar.

Saudades dos animais,

das fazendas, das árvores,

e do zoológico.

Saudades das flores,

do buquê, do vaso,

e dos jardins.

Saudades do vento,

do frio, do calor,

dos sentimentos de dor.



Saudades das mentiras,

do cinismo, do teatro hipócrita,

e dos respectivos atores.

Saudades da política,

da esquerda, da direita,

e do comércio de votos.

Saudades da manipulação,

da imprensa, das rádios,

da televisão.

Saudades do sistema,

dos influenciados,

dos fantoches humanos,

dos viciados.

Saudades da Morte,

do azar e da sorte.

Saudades da vida,

tão corrida,

passou despercebida.



Armenio Eduardo ©

1997



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui