Usina de Letras
Usina de Letras
34 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 62474 )
Cartas ( 21336)
Contos (13274)
Cordel (10453)
Crônicas (22547)
Discursos (3241)
Ensaios - (10470)
Erótico (13578)
Frases (50858)
Humor (20083)
Infantil (5499)
Infanto Juvenil (4821)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1377)
Poesias (140901)
Redação (3323)
Roteiro de Filme ou Novela (1064)
Teses / Monologos (2437)
Textos Jurídicos (1962)
Textos Religiosos/Sermões (6248)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Humor-->Encosto -- 16/04/2004 - 10:56 (A A Livro Pálida Sombra) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Voz Cavernosa



Bate tambor,bate atabaque,bate macumba,



a minha dor te levanta da catacumba,



baixa espírito ! não cobro taxa espiritual,



seja homem ou mulher,seja do bem ou do mal !



Sinto estar chegando o debochado encosto,



jácute; posso ver sua marca no meu rosto,



quem é a senhora,entidade que gira,



o seu corpo material ainda respira ?



Voz Gutural



Não se apavore meu zelador de santo,



estou aqui pra revelar o meu encanto,



atendo o apelido que me deste,Pácute;lida Sombra!



aquela que a mais de vinte anos te assombra,



sou espírito sem luz navegando sem porto,



e meu corpo material a anos estácute; morto...



Escute bem meu cavalo o que anda acontecendo,



uma pessoa sua conhecida estácute; me devendo...



Tenho uma cobrança pra quebrar a maldição,



se não pra sempre vou vagar na escuridão,



com essa revelação,meu estranho amigo,



toma cuidado,podes correr grande perigo,



estou saindo,tenho criancinhas pra assustar!



um casarão,um museu e um cachaceiro pra atentar. ....



Ezidio Alves


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui