Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
235 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57766 )
Cartas ( 21192)
Contos (12699)
Cordel (10207)
Crônicas (22327)
Discursos (3143)
Ensaios - (9127)
Erótico (13426)
Frases (44561)
Humor (18707)
Infantil (3973)
Infanto Juvenil (2911)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138417)
Redação (2955)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5040)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Caso -- 20/06/2010 - 12:40 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Caso



Você pode achar que não houve

apenas eu

tive e fiz.

Ou mesmo assim

sem ter tido

azucrinei madrugadas

para mim mesma

com teu perfume.



Provável; dier,

provável é.



Vamos de novo aos quintais

perguntar tudo a esta vida:

o que é real

e o que é nunca?

O que é que é mesmo

a mentira?



O teu perfume de areia

ainda está:

eterna estréia.

Mas não troféu

treco morto.

Porque alinhavo e permito

todas as marcas que touco

e elas se ajeitam e gostam

de perdurar

como encostos...

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 181 vezesFale com o autor