Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
240 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57916 )
Cartas ( 21200)
Contos (12735)
Cordel (10224)
Crônicas (22343)
Discursos (3145)
Ensaios - (9158)
Erótico (13440)
Frases (44825)
Humor (18801)
Infantil (4034)
Infanto Juvenil (3001)
Letras de Música (5487)
Peça de Teatro (1324)
Poesias (138563)
Redação (2966)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5104)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->No Fio -- 07/02/2010 - 21:36 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
NO FIO





Me trazes como à berlinda

sem fio ou base:

agora jogas,

depois imploras.



Não tenho espinhos

mas tenho entranhas:

quando as invades

cancelo a entrada.

Me jogas longe

depois me chamas...



E deixas as gavetas

com suas bocas entreabertas

e se esvaem os segredos

que ensaiaram nosso enredo:

se me queres, se eu te quero...



Já depois

banal e austero

meu pedaço

viras zero.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 202 vezesFale com o autor