Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
233 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57766 )
Cartas ( 21192)
Contos (12699)
Cordel (10207)
Crônicas (22327)
Discursos (3143)
Ensaios - (9127)
Erótico (13426)
Frases (44561)
Humor (18707)
Infantil (3973)
Infanto Juvenil (2911)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138417)
Redação (2955)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5040)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Encontro e Fuga -- 30/01/2010 - 21:56 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Encontro e Fuga.



Farei quase de conta

que é o acaso

e talvez à tua frente

me recorte.

Algo um pouco em desajeito

que é minha marca;

mas mostrando que sou firme

e não te vejo.

E você algo assustado

então perceba

que sou eu, aquela lá,

a dos poemas...



Imagino que se arrisque

e valha a pena

derrubar por acidente

alguma coisa

e eu então reconhecer

o nosso esquema.



Sei que o ímã dos teus olhos

me aprisiona

e depois de tanto tempo

serei tola.

Sei da química

do espaço

das faíscas.

E do tanto que desejo

teu abraço.



Imagino nossas noites

sem compasso

sem bom senso,

com desejo

e pouco tempo.

Mas terão as iniciais

que doem por dentro.



E então sim : será a hora

de ir embora.

Porque tudo que é divino

e singular

faz questão – amor também-

de terminar.



Irei – me assim

(e deixarás)

devagar e sem palavras

-eu sei lá!-

E os momentos ficarão

como tatuagens.



Abrirei a minha porta

agora outra

revirando os cantos todos

à procura

e sem nada ver-me hei

já quase nua

com a alma embora só

agora tua!







Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 242 vezesFale com o autor