Usina de Letras
Usina de Letras
21 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50382)

Humor (20001)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140718)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->VIAGEM MUSICAL -- 01/10/2009 - 23:42 (Alfredo Burghi ) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Só quem voa sabe porque os pássaros cantam - Isabel Almeida - Fotógrafa



Ficava enlevado com o som das músicas. Aquela seleção era muito especial. Provocava uma viagem aos seus sonhos. Cada música tinha um pedaço seu. Uma história passada. O desenho de uma paisagem e a presença de algum ser que ele considerava muito. Em algumas paisagens tinha animais que ele adorava, em outras, pássaros que chegavam e partiam de forma leve e rápida se revezando como o vento batendo nas árvores enormes e verdes fortes de lugares visitados, vividos ou sonhados. Havia ainda seres humanos, e esses compunham histórias que se confundiam com a sua história de vida. Desfilavam em sua memória pais e irmãos e parentes distantes, mas queridos, amigos e conhecidos que o enterneceram, abraçaram, ajudaram e compuseram seu quadro de referências do que fora a sua vida. Não computava tristezas do passado. Armazenava memórias agradáveis. Buscava ter uma vida mais amena, por isso esquecia, se é que se lembrava, o que não lhe convinha à sua felicidade. Não regredia tanto no tempo. Da infância não tinha muitos registros, mas tinha lembranças que indicavam que havia sido um período feliz. Não regredir, no entanto, não significava ter memória tão recente. Por descuido, muitas vezes, quando contava o tempo, poucas vezes, se assustava que aquela passagem se dera há quase um século atrás. As músicas não tinham passaporte. Eram universais. E, assim, como os sonhos, o passado se dava no espaço do mundo, sem restrição de épocas ou nações. Cada música uma viagem. Em cada viagem um sonho se mostrava cada vez mais claro e próximo. Nessas viagens perpetuava sua juventude, esquecia sua idade que se acumulava e perturbava. Um dia, sob uma valsa de Strauss, deitou-se de costas, parou de fumar, fechou os olhos, relaxou o corpo e foi descobrir porque os pássaros cantam.

22 de Junho de 2.009
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui