Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57095 )
Cartas ( 21170)
Contos (12595)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43742)
Humor (18479)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138305)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4887)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Meu absurdo -- 30/09/2009 - 08:40 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Meu absurdo



Sem qualquer alternativa

à deriva me deixaste

como nave,

quase entrave:

qual recado agora vago

que não tem onde pousar.



Teus tropeços, peças raras

como pedras muito caras

atingiram-me de frente

tão banais

e tão pungentes...



Eu não falo em ser decente:

não existe norma clara

nesse lado enamorado

só magia ilusionista

que resgata e logo mata.



Mas então, amor distante:

acredite na miragem

porque nela existe a arte

deste encontro absurdo em parte

e quase inteiro, como amar-te

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 277 vezesFale com o autor