Usina de Letras
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59270 )

Cartas ( 21241)

Contos (13146)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9461)

Erótico (13486)

Frases (46705)

Humor (19310)

Infantil (4487)

Infanto Juvenil (3784)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138412)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5562)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Palavra -- 10/04/2009 - 10:40 (gisele leite) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
A palavra é minha aia

Minha serva cega e surda

A perseguir laboriosamente

O que devo dizer,

O que devo sentir,

O que devo verbalizar.



Mas há coisas indizíveis

Coisas de silêncio ritual,

Coisas que são substanciais

Absolutas

E condensadas em si.



Como oxigênio

Como suspiro

E poesia espalhada

no pólen

E levada pelos passarinhos

pelos descaminhos da vida.



A palavra é minha aia

Nasce com alvorecer

E, mesmo quando estou rouca

Lá está a palavra incrustada no corpo,

Cristalizada na alma

Como amálgama

Como véu que deixa ver e esconde

Como o vento que sussurra

Estranhos segredos em silêncio.



Observa a aia.

Reverencie a aia

Seu labor, seu som, sua cor

E sobretudo sua história.

Conte as palavras mais importantes de

Sua vida.

Serão crenças,

Serão valores

Será você mesmo picado entre fonemas,

E disperso no vento.







Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui