Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
49 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59142 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9441)

Erótico (13481)

Frases (46534)

Humor (19286)

Infantil (4462)

Infanto Juvenil (3733)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138253)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->DROGA -- 05/03/2009 - 23:28 (Cristina Ancona Lopez) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Olhou para o céu e viu frases escritas em rosa choque e azul turquesa pensou que lindo, que lindo e quando abaixou os olhos novamente viu um pavão que abria a cauda, barulhento, bem em frente a ela, levou um susto enorme! Medo foi o que sentiu mas no mesmo instante começou a escutar uma musica alto e falou vamos, vamos, me leva aonde está a musica. Ele, fingindo que acreditava foi com ela e quando ela tropeçava em buracos que não existiam, a segurava forte pela cintura. Chegaram a uma praça não havia musica mas ela disse tem sim, estou escutando! Vamos dançar. Ele ria, ria, como ele ria! Dançou, fazer o que? Se ela escutava, ele podia fingir que escutava também mas não disse nada. Ela escutava e cantou com a musica, ele dançou, deliciado. Delicia dançar na praça com ela. Dançaram, dançaram, ela cantou, cantou, ele cansou, ela não, e então ele disse: vem, vou te levar pra casa.

Entraram na banheira e a água fazia cócegas, ela não conseguia parar de rir e ele só olhava achando graça,colocou musica, ela adorou, mergulhava na banheira e ria porque sentia cócegas, ele disse vem, secou o corpo dela, secou os cabelos, ela fechou os olhos e devaneava, fez poesias, recitou para ele, ele ria, deliciado. Sentaram-se no terraço e as luzes da cidade brilhavam, ele disse olha as luzes, ela viu em cada luz um monstro e correu para o colo dele ele disse calma, é só luz! Ela ficou com vontade de chorar e pediu não sai de perto de mim, ele cantou e ela se acalmou e ele nunca mais se esqueceu daquela frase, não sai de perto de mim, não sai.

Levou-a para a cama, cantou para que ela dormisse e ficou com ela. Não saio. Não saio nunca mais de perto de você.



5/03/09
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui