Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
89 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57502 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->SEI LÁ -- 14/02/2009 - 19:42 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
SEI LÁ



De repente

todas as tardes

ficaram com cara de sei lá.

A indiferença

pendurada nas coisas e nos homens

possuiu-me com sua antena.



Não havia nem você

nem alguém

nem coisa alguma que não fosse

somente coisa vazia

sem pedaços de mim

(sem pedaços de ninguém).



E então cruzou um céu de janela

um pássaro com asas desenhadas

e atravessou a tarde toda

costurando meu ser

adoentado de nada.



E então achei as cores rabiscadas

nos pedaços de vida que se agarram

a todas as coisas.

E a indiferença acenou

como uma criança indo embora

( mesmo que por alguns dias,

de trem...)





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui