Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
230 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59126 )

Cartas ( 21236)

Contos (13112)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46510)

Humor (19278)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3724)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138227)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5523)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->* A CANECA DA DONA MARIA* -- 28/05/2008 - 17:28 (Sonia Nogueira - *sogueira*) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

*A Caneca da dona Maria*

Uma senhora por nome Maria morava num casebre humilde e desprovido de tudo. As paredes eram feitas de barro com varas e não de alvenaria.
No teto algumas velhas telhas e o restante com palha de carnaubeira. A porta era como uma toalha de retalhos, pedacinhos de madeira de toda cor.

A limpeza reinava naquele simples lugar. O piso de barro era recoberto por uns pedaços de telha e sobras de tijolos encontrados por aí. Havia apenas dois compartimentos. Na sala uma rede, pendurada sob um pedaço de madeira, um pote no canto, um caneco de alumínio amassado, mas brilhado de limpeza, um banco de madeira rústica.

Na cozinha umas poucas panelas de barro, um fogão à lenha e um caneco de ágate com uns botoques ao redor, que ganhara de sua patroa, da qual lava roupa.
Certa tarde apareceu um viajante.
- Oi de casa?
- Oi de fora, o que deseja?
- Senhora me arranje um gole d’água, estou morrendo de sede.

A mulher meio indecisa, pois só tinha uma caneca. Mas não podia negar água a um viajante, era pecado e Deus castigava.
Trouxe a caneca cheinha. O homem, com nojo, encostou os lábios do lado da asa da caneca e saciou sua sede.
A mulher pasma comentou.
- Ah, o senhor pôs a boca no mesmo cantinho que eu escolhi para beber água, do ladinho da asa.

Sogueira

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui