Usina de Letras
Usina de Letras
15 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61962 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10263)

Erótico (13560)

Frases (50375)

Humor (19998)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4725)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Minhas vidas finadas... -- 05/12/2008 - 20:42 (Adriana Luz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
*

*



Morri tantas vezes. Sempre morro quando

o que penso não existe, ou existiu, e de repente, foge de mim...



Morro todos os dias. E mesmo pensando estar morto

noutro dia

renasço.



E penso estar morrendo. Até o fim do dia.



Morro de noite.

Renasço pela manhã.

E tenho certeza de que da tarde não passo.



A tarde se arrasta

entre minha vida

que acabara de renascer pela manhã

e minha morte que acaba de apontar...



Morro todas as noites

manhãs

ou tardes



(mas renasço em algum espaço entre tudo isso)



E essa é minha vida.



(Adriana Luz - 02 de novembro de 2008)



*

*
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui