Usina de Letras
Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
194 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58880 )
Cartas ( 21229)
Contos (13056)
Cordel (10273)
Crônicas (22178)
Discursos (3163)
Ensaios - (9376)
Erótico (13474)
Frases (46140)
Humor (19173)
Infantil (4375)
Infanto Juvenil (3580)
Letras de Música (5473)
Peça de Teatro (1332)
Poesias (138025)
Redação (3040)
Roteiro de Filme ou Novela (1060)
Teses / Monologos (2425)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5445)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->DESABAFO -- 04/02/2021 - 09:32 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

DESABAFO

Poeta Andarilho

 

Querem acabar de vez

Com minha reputação

Por causa de delação

Que ficou só no “Talvez”.

Eu vou dizer pra vocês

Que nunca vi coisa igual

Esse terror infernal

No campo do absurdo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Que procurem na Suíça

Ou mesmo no Paraguai

Eu digo até em Xangai

Pois não existe premissa.

A imprensa é quem atiça

Pra fazer o vendaval

É muita gente do mal

Querendo me deixar mudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Quando tem uma audiência

Vou com a língua afiada

“EU NÃO VI, NÃO SEI DE NADA”

“ISSO É VERDADE – EXCELÊNCIA”

Só com muita paciência

Vou fazer prova cabal

(não confundir com Cabral)

Pra não tirar meu escudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Essa estória de empreiteira

Eu não quero nem ouvir

Só pra fazer boi dormir

Na sombra da gameleira.

Não aguento mais besteira

Que vem por todo canal

Já pensei em Portugal

Onde serei um sortudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

No Brasil, qualquer assunto

Vai terminar em propina

E logo alguém incrimina

Seja vivente ou defunto.

Conspiração em conjunto

Com baixo golpe moral

Falando de CAPITAL

Nesse tom mais que agudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Pra encerrar a novela

Vou falar com sensatez

Caixa dois ou caixa três

Não passa duma balela.

Enquanto como costela

Mal passada e sem sal

As elites “no curral”

Têm um cardápio carnudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Quem não se faz convencido

Que consulte o Instituto

Uma entidade de vulto

Com respeito merecido.

Um juiz tem insistido

Que quer ver meu cabedal

Diz que tudo é ilegal

Como diz qualquer bicudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

Aumentando a confusão

Inventaram a “Carne Fraca”

Pesando que nem uma jaca

Por causa do papelão.

CARNE VERSUS PETROLÃO

É o que diz a Federal

Mas na lista principal

Tem imberbe e tem barbudo

EU PRESTEI CONTA DE TUDO

NA JUSTIÇA ELEITORAL.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 42 vezesFale com o autor