Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
257 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58162 )
Cartas ( 21211)
Contos (12859)
Cordel (10239)
Crônicas (22095)
Discursos (3147)
Ensaios - (9230)
Erótico (13453)
Frases (45309)
Humor (18940)
Infantil (4163)
Infanto Juvenil (3236)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138722)
Redação (2997)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5254)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->FUJA DAS ARMADILHAS -- 12/09/2020 - 21:23 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

                             FUJA DAS ARMADILHAS


Não é preciso ser perfeito para ser um prefeito
Porque será o sufrágio universal quem irá decidir
Mas, se ele fizer bom governo e for bom sujeito
Poderá por meio do voto novamente o conseguir

As convenções partidárias escolhem seus nomes
E caberá aos partidos políticos a grande divulgação
Geralmente, são esperados candidatos de renomes,
Com reputação ilibada e sem qualquer contestação

Os “mesmos de sempre” serão bem apresentados
Para a composição da chapa que o partido escolher
Nem sempre eles serão os “homens” mais votados
Mas será  a “velha tradição” que terá de prevalecer

Há quem ache que renovar será boa alternativa
Para deixar "velhos líderes” em palpos de aranha
No entanto, outros acreditam que essa iniciativa
Irá apenas aguçar novos conchavos e barganhas

 

A propaganda partidária será o fiel da balança
Para quem prometer fazer mais pelo seu povo
Apesar de o eleitor ainda viver de desconfiança
Preferirá o candidato “antigo”, a confiar no novo

Há quem prefira o eloquente, ao menos letrado
Quiçá, o mais comprometido com o bem comum
Mas, no frigir dos ovos, o eleitor será “enrolado”
E terminará dando o seu voto para qualquer um

Candidatos à reeleição aparecerão aos montes
Dizendo que farão bem mais no pleito vindouro
Seus eleitores ainda ficarão sem saber as fontes
Que fizeram com que eles “escondessem o ouro”

Política partidária, a arte vivificada por poucos
Que fazem muito bem dela o eterno ganha-pão
Já os eleitores, por vezes, passam-se por moucos
E tornam-se vítimas constantes de seu alçapão

Assim, use seu voto como o seu nobre dever cívico         
Exerça-o, conscientemente, quando o for necessário
Jamais se deixe transitar por entre um logro político
Nem se torne por paixão em seu reles e fiel sectário.  


 

 

 

     
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 17Exibido 102 vezesFale com o autor