Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
118 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57043 )
Cartas ( 21170)
Contos (12600)
Cordel (10078)
Crônicas (22200)
Discursos (3134)
Ensaios - (9000)
Erótico (13395)
Frases (43638)
Humor (18454)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2687)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138232)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ROTINA -- 01/06/2008 - 14:19 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
ROTINA



Esquivando objetos

como morcegos

vou fechando os olhos

para cochilar.



Adormeço no volante

quando há faróis,

ou nos bancos do metrô

quando é metrô,

ou mesmo durante as falas

-chatas...-.



Passo a rotina a limpo

todo dia

como se fosse dar o troco

para conseguir um tempo

- "free"-.



Como se fosse questão

entre ser bom e ser mau

ou entre merecer

ou não.

Como se sendo robot

por horas a fio

ganhássemos o direito

de algumas horas humanas

junto àquele a quem se ama;



E como a noite esbarra

com a minha vontade de continuar

- como libera os minutos

e os gasta

mastigando-os

sem piedade,

roubando o que resta do dia,

mostrando a língua,

debochando;



então, como tudo isso

se repete...

abro a janela,

respiro o frio;

constato a falta de asas

- e como não dá para voar

assim

e te encontrar;

...penso em ti.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 275 vezesFale com o autor