Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58118 )
Cartas ( 21211)
Contos (12860)
Cordel (10239)
Crônicas (22075)
Discursos (3147)
Ensaios - (9223)
Erótico (13451)
Frases (45260)
Humor (18932)
Infantil (4147)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5246)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O Ônibus de Cada Dia... -- 06/11/2004 - 17:48 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
ÔNIBUS DE CADA DIA

Quando era mais novo chamava o ônibus de “máquina de levar e trazer”
Pois é a função deste veículo, que também não deixa de ser um castigo para quem é usuário, onde temos que esperar por horas a fio, dependendo do bairro então, o pau come, pois é uma briga colossal para entrar e sentar. Os que não conseguem esse feito, terminam em pé, parecendo um amontoado de carne pendurada no açougue.
O interessante que tem gente que adora esse tal veículo, outros fazem questão de esconder este “atestado de pobreza”. O coletivo é onde todo tipo de pessoa se encontra. Um certo dia quando ia à praia vi essa figura: Um cara que sentava junto ao condutor, parecendo até um co-piloto, se algum motorista tomava a frente do veículo, ele xingava, esperneava, traduzindo fielmente o que o que o seu “colega” estava para fazer.
Os tarados teimam em habitar este recinto, um deles certa vez, sempre saía por volta das sete da matinha, sentava-se junto a uma mulher e começava se masturbar perante ela, assustando a coitada, o cobrador espantado disse que isso era rotineiro, mas ele não fazia nada mais que isso...
Ônibus cheio então é o deleite de quem gosta de se encostar, a tal ponto que um chegou a gozar e ejacular em pleno”vôo”. Sendo expurgado do transporte, quando chegava ao orgasmo “itinerante”.
Quando um mendigo chega então é um horror, todos se afastam tanto que se pudesse ficava no andar de cima o faziam. Bêbado então é um saco, pois não tem noção de nada, uma dessas figuras certa vez estava logo ao meu lado, como não sou trouxa, tratei de sair devagarinho, foi quando uma sorridente senhora agradeceu a “boa vontade”, premiada com um vômito no colo, pelo pingunço.
Assim no balanço do ônibus, todos vão levando, até fazer amizade e namoro conseguem, tem gente que diz que mulher de buzu que é bom, pois é mais simples...
Querendo ou não, ele faz parte de nossas vidas, quem já pegou não quer pegar mais, contudo ele sempre está ali na espreita, para quando você virar pedestre,usar, nem que seja por um dia de “alegria” ele estará lá, que aos troncos e barrancos vai te deixar no destino.

Marcelo de Oliveira Souza
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui